ARTIGO  

Artigo publicado Jornal Estado de Minas em 02/08/2015 - Por Maria de Lourdes Pereira - Instrutora e Consultora LC CURSOS E TREINAMENTO EMPRESARIAL

 

Ferramentas para minimizar demissões.

 

Nos últimos meses, em virtude das mudanças no cenário econômico, temos observado que as empresas têm aumentado a preocupação com seus custos e despesas. Observando a necessidade de maiores controles, além da preocupação de se manterem competitivas no mercado.

 

A frase “redução de custos e despesas” traz muita insegurança devido à associação que sempre é feita: Reduzir custos e despesas, igual a demissões.

Seria a demissão realmente uma ferramenta eficaz? Nem sempre.

 

A criação de controles internos, e a análise periódica desses, são fundamentais.

Daí surge à necessidade da criação de ferramentas básicas como: Controle das contas a pagar, controle das contas a receber, fluxo de caixa,  para que haja uma redução de custos e despesas de forma assertiva.

Um ambiente onde há abertura para o diálogo entre líderes e liderados deve ser considerado, pois boas idéias poderão surgir.

 

Nem sempre a análise para reduzir custos e despesas requer alguma forma de desembolso, a elaboração de controles simples que possam responder questionamentos do tipo: Qual a origem da receita? Qual a origem da despesa? Serão de grande importância na tomada da decisão.

Para demitir é necessário analisar: Houve redução do trabalho? O número de Colaboradores que temos é suficiente? Como está a motivação dos Colaboradores que permaneceram?

 

Cabe aos Gestores e aos profissionais de Recursos Humanos, entenderem um pouco mais do ser humano e associar esse entendimento a ferramenta de bons controles financeiros para, a partir de então, formarem equipes sólidas e verdadeiramente comprometidas com os resultados.

Resultados positivos somente serão alcançados através do comprometimento, que só será possível num ambiente que tenha como foco a satisfação das pessoas.

Será que pessoas inseguras com seus empregos se comprometem com resultados?

O comprometimento dos profissionais e a motivação estão atrelados também a expectativa de não correr o risco constante de ficar desempregado.

 

Não existe método mais eficaz para obter o envolvimento do que a sensação de estabilidade e uma boa conversa.  Pessoas gostam de participar, de se sentir útil, de se envolver, de ser reconhecida, de se relacionar com outras pessoas.

A insegurança pode levar à falta de comprometimento, de qualidade, a rivalidades e conseqüentemente a improdutividade.

Bons controles têm como objetivo facilitar a execução das atividades com mais comprometimento, conhecimento e profissionalismo.

O tema é de grande relevância, e existem profissionais no mercado especializados em detectar problemas na gestão dos custos e despesas, encontrando soluções personalizadas.

Assim, a partir do momento em que estiver estabelecida a troca, entre a organização e os colaboradores, integrados por objetivos comuns, todos ganham.

 

 

Maria de Lourdes Pereira  (Consultora  da LC Cursos e Treinamento Empresarial. Email: Lc.treinamento@hotmail.com